sábado, 10 de março de 2012

Diogo

Faz hoje um ano que o primo/irmão do meu Pedro, o meu (também) Diogo, nasceu.
Faz hoje um ano que a minha amiga/irmã conhecia um amor maior.
Faz hoje um ano que eu o vivia de perto, porque a vida assim quis.
Engravidámos com poucos dias de diferença, contámos as semanas de gravidez lado a lado, exibimos as barrigas juntas, fizemos a preparação para o parto a 4.
No dia 10 de Março de 2011, ao saber que as águas da Ana tinham rebentado, que deu tempo para ir a casa buscar as malas e tomar um banho, de ir sem pressa para o Hospital, que poderia ligar-lhe à vontade porque iria demorar,que pouco depois já não atendia o telefone, que o Pedro me dizia que já estava quase, que o Diogo tinha nascido e que era lindo, sentia uma comoção indescritível, uma felicidade avassaladora, uma ansiedade saudável por saberque estaria a dias de passar pelo mesmo.
Aquele dia foi também um bocadinho meu. Era como se aquela história fosse a minha, fosse a antecipação do momento em que também nós teríamos o Pedro no colo. Não foi exactamente assim, porque 4 dias depois soubemos que teríamos que recorrer ao plano B para ver o Pedro nascer (cesariana).
Mas vivi esse dia 10 como se fosse o meu. Talvez seja a descrição de parto que mais tenho presente e orgulho-me dela. Era assim que eu queria que tivesse sido o meu. Não foi possível, talvez nunca seja, mas consola-me ter vivido de perto esta história.
Recordo, também, a ansiedade e a comoção do Miguel, atropelando as palavras, por tanto querer descrever-me o que o Pedro lhe tinha descrito. Lembro-me perfeitamente de repetir “deve ser maravilhoso”.
Por tudo isto, por tudo o que nem cabe aqui, neste texto, hoje o dia é também um bocadinho meu, um bocadinho nosso, meu, do Miguel, do Pedro, da Ana, do Pedro e do Diogo.

Para ti, meu sobrinho/filho, que continues feliz e perto.

4 comentários:

  1. parabéns Diogo.
    adoro a ternura deste texto. adoro o amor que está neste texto.

    ResponderEliminar
  2. Nada do que eu diga chega! E este dia é, sem dúvida, vosso também, porque não concebo a minha gravidez sem a tua, não imagino o ano do Diogo sem o Pedro por perto. Não poderia ter sido de outra forma.
    lembro-me perfeitamente do Pedro me contar como o Miguel ficou maravilhado ao ouvir a descrição do nascimento do Diogo, lembro-me de quando nos vieram visitar a casa e nos contaram que o Pedro ia nascer dentro de 2 dias!
    Já disse mil vezes, mas tudo teve sempre um sabor melhor porque foi partilhado!
    E, acima de tudo, fico feliz por o meu Diogo ter a sorte de ter um irmão de coração como o teu Pedro!

    (adorei ler "meu sobrinho/filho" por é que é mesmo assim que os sinto)

    365 beijos para ti

    ResponderEliminar
  3. Vocês as duas/ os quatro são a ternura e o amor em palavras.
    Não vos posso ler aqui na Sweet porque fico com os olhos húmidos de alegria :)
    Minhas irmãs de coração****
    Eu lá saberia viver sem vos ter por perto...

    ( Até fico com vontade de ter um Francisco, só para vos poder entender melhor e desdobrar ainda mais o meu coração com vocês. Sempre com VOCÊS! )

    ResponderEliminar