sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

O nosso Natal

Se tivesse que escolher uma palavra para descrever este nosso Natal, escolheria “UAU”. Naquele exacto momento em que a árvore saiu da caixa e começou a ganhar forma, o meu filho saiu-se com um “UAU”, nesse tom mais genuíno e inesperado. E eu, sim eu, novamente em espanto.

Se tivesse que escolher um objecto para adornar este nosso Natal, escolheria os corações dos desejos. Com tanto que dizem de nós, das nossas expectativas, das nossas promessas, do nosso futuro.

Se tivesse que escolher uma cidade para viver este nosso Natal, escolheria o Porto. Nunca fui tantas vezes à baixa do Porto como este ano. Ver a árvore, ver a “corrida do papá”, balançar-me nos baloiços do abraço e da família, tirar fotografias de tripé. E vendo as fotos, comover-me com a escolha do baloiço da família para a fotografia com amigos, sem ninguém questionar a escolha.  
Se tivesse que escolher um sabor para adoçar este nosso Natal escolheria o chocolate. A estratégia do chocolate, a diplomacia do chocolate, o só porque sim do chocolate…

Se tivesse que escolher a contradição para baralhar este nosso Natal, escolheria a praia. A fotografia do Pedro e do Diogo na praia no Verão colocada pela primeira vez no quarto do pequeno. O pedido do Pedro ao vê-la. O cumprir o desejo. Inverno, o Pedro e os amigos na areia. Os gorros e as mãos na areia. Os casacos de pipinhos e os pés na areia.

Se tivesse que escolher um achado para marcar este nosso Natal, escolheria as andorinhas, porque elas são a família e os amigos e porque elas me concederam o principal pedido que fiz este ano num momento muito difícil. Tenho agora uma andorinha para o pescoço, uma para o peito, uma junto da cama do Pedro.  

Se tivesse que escolher uma cor para pintar este nosso Natal, escolheria 4. As 4 cores com que o Pedro pintou as suas 3 primeiras telas. Com luas vermelhas, luas amarelas, triângulos verdes e triângulos azuis.
Se tivesse que escolher um presente para presentear este Natal, escolheria a carta que o João Cutileiro escreveu ao Pedro. Porque é uma prenda de valor incalculável para o meu filho, mas é uma prenda para mim e para o Miguel. Por aquilo que fizemos de melhor na vida ter chegado aos traços de alguém tão sensível e agora às suas palavras.

4 comentários:

  1. se tivesse que escolher um post sobre o Natal, escolhia este! <3

    ResponderEliminar
  2. Uma, entre tantas, as coisas que me fazem gostar de ti, é a forma como transformas coisas simples, do dia a dia, em pura magia!
    Feliz 2013 minha mana do coração!

    ResponderEliminar