quinta-feira, 6 de junho de 2013

Ser irmão

Ver o meu filho no colo do meu afilhado, 7 anos mais velho, ou sentado entre as suas pernas, vê-lo puxar-lhe a mão, para que o siga, vê-lo repetir o seu nome para que preste atenção ao que faz, e sempre feliz, uma felicidade diferente da que se sente quando são os adultos a dar-lhe colo ou atenção, ver tudo isto faz-me perceber como é bom ser o irmão mais novo. Como é bom ser irmão. E faz-me ter mais certezas de que quero, um dia, ter dessa felicidade em nossa casa, todos os dias.

Admito que pela excepcional doçura e cuidado do meu afilhado tudo me pareça muito cor-de-rosa...

1 comentário:

  1. É exatamente isso que espero, um dia, ter aqui em casa também!

    ResponderEliminar